Está pensando em abrir um bar? Veja as nossas dicas

9 minutos para ler

O setor alimentício é um dos que mais se desenvolvem no Brasil, especialmente empreendimentos que conseguem reunir em um só lugar comida boa, bebidas e a possibilidade de encontrar os amigos. Assim, abrir um bar no Brasil pode ser encarado como um bom negócio, levando em consideração os hábitos de diversão dos brasileiros.

No entanto, mesmo sendo uma ótima alternativa para investimento, quem pensa em abrir um bar precisa estar atento a alguns detalhes. A começar pela definição do tipo de estrutura oferecida, qual será o tipo de cardápio, público-alvo e localização, por exemplo.

Outro ponto importante é saber escolher os fornecedores com os quais você vai trabalhar, pois a qualidade do que será oferecido aos clientes dependerá muito disso. Então, para você que está pensando em abrir um bar, mas ainda não sabe por onde começar, abaixo listamos algumas dicas que poderão ajudar. Confira!

Como descobrir as obrigações legais do bar?

Legislação é uma coisa séria, e os estabelecimentos que não seguem as normas podem receber multas de alto valor ou serem impedidos de funcionar. Por isso mesmo, antes de investir em um bar, é importante consultar as leis da cidade para saber quais são as exigências para o funcionamento da cozinha.

O ideal é que você entre em contato com a prefeitura e se informe sobre os regulamentos específicos. Normalmente, verifica-se se há alguma regra em relação à música e ao som do ambiente, sobre o horário de funcionamento, a localização e se há a sinalização correta para o fluxo de saída e entrada do público (em caso de incêndios, por exemplo).

Além disso, a vigilância sanitária possui direcionamentos rigorosos sobre a manipulação de alimentos e higienização das instalações. Para você ter uma ideia, os ingredientes e as embalagens utilizadas (com o devido prazo de validade) devem ser registrados e estar de acordo com os critérios estabelecidos pela lei.

Quais são os equipamentos necessários?

Depois de se informar sobre a legislação, pense na estrutura do bar, que pode ser dividida entre a cozinha, balcão e salão, basicamente. É importante que você analise o capital para investimento, para a compra de equipamentos que são indispensáveis.

A partir disso, você já consegue definir melhor as necessidades de cada uma dessas partes. A cozinha, por exemplo, é onde boa parte do que é consumido no bar é preparado, então, precisa ser um espaço amplo, com os equipamentos necessários para atender a demanda.

Faça um mapeamento dos itens essenciais

Freezers, geladeiras, fogão industrial, balcão de preparos, fritadeiras, eletrodomésticos e artigos para preparar e servir os pratos são alguns dos itens essenciais. Sem falar, é claro, do que vem depois: a gestão de compra de insumos e a produção dos pratos do cardápio.

Mas, voltando à estrutura, o balcão é o local onde são preparados os drinks e as bebidas ficam disponibilizadas para facilitar o trabalho do salão. Além do mais, alguns clientes podem escolher tomar seus drinks no balcão, então é preciso ter algumas banquetas para eles se sentarem, além da bancada, geladeiras e prateleiras, onde ficam as taças e os copos.

Analise a divisão dos espaços

O salão é a área nobre, onde os clientes ficam e, por isso, devem ser priorizados o conforto e a funcionalidade, para que os funcionários consigam circular. Mesas, cadeiras ou poltronas confortáveis e bem espalhadas fazem parte da área.

Além desses espaços principais, há outros também muito importantes, como os banheiros, a área do caixa, o depósito e, às vezes, o estacionamento. Então, é preciso avaliar as demandas de equipamentos para essas áreas também.

É interessante lembrar que tais equipamentos fazem parte da identidade do bar e ajudam a deixar o ambiente mais personalizado e aconchegante para os clientes. Antes da compra, lembre-se de que eles contribuem para que a experiência do seu consumidor seja ainda melhor.

Como organizar a gestão do bar?

O bar é uma empresa, por isso, sua gestão também deve ser dividida entre as diferentes áreas. Mesmo que o empreendimento seja pequeno, o ideal é que pessoas capacitadas sejam responsáveis por assuntos específicos.

Por exemplo, na cozinha é preciso ter um chefe com experiência, que não vai apenas elaborar o cardápio, mas criará uma metodologia de trabalho ideal para a dinâmica do bar, de acordo com os pratos servidos. Na área do bar, novamente, é preciso que alguém com experiência possa assumir o comando.

Na área do atendimento, um gerente de operações é o ideal para coordenar as demandas e manter os diferentes setores trabalhando no mesmo ritmo. Já quanto à parte burocrática, não se esqueça da importância de escolher alguém que tenha experiência com finanças e controle financeiro.

Como capacitar colaboradores?

Trabalhar em bares não é para qualquer um, pois é preciso ter jogo de cintura no atendimento aos clientes. Nos momentos de pico, é importante ser o mais eficiente possível, e os horários e escalas de trabalho não são os mais fáceis.

Com isso, o ideal é contratar pessoas com experiência de mercado nessa área, pois elas já estão familiarizadas com as peculiaridades do setor. Como uma empresa, vale a pena pensar no processo de onboarding, oferecendo um treinamento do qual todo novo colaborador deve participar antes de começar a trabalhar.

Nesse treinamento, apresente a empresa, sua missão, valores e as condutas permitidas. Além do mais, de acordo com o setor do novo trabalhador, é preciso dedicar um período de treinamento prático para que ele entenda como realizar cada uma de suas funções.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

O ambiente de trabalho é fundamental para o sucesso da equipe

Muito se fala sobre as obrigações dos colaboradores, mas é fundamental lembrar do compromisso do negócio com o ambiente de trabalho. É possível fazer isso de diversas formas, como:

  • estabelecer regras sobre as funções;
  • criar processos de comunicação mais efetivos;
  • estabelecer metas;
  • pensar na oferta de melhores benefícios ou flexibilidades;
  • determinar os horários de atuação;
  • deixar claro os valores e objetivos do bar;
  • promover um ambiente colaborativo etc.

Tudo isso permitirá que os funcionários fiquem mais satisfeitos e também resguardados de eventuais problemas.

Pensar nesse aspecto também é fundamental para o funcionamento do negócio. Já imaginou como pode sair caro investir no treinamento do colaborador, que acaba pedindo demissão por falta de sinergia com a equipe?

O que deve estar no cardápio?

Escolher o cardápio de um bar ou restaurante não é uma das tarefas mais fáceis, mas alguns indicadores ajudam nessa questão. Comece definindo quem é o seu público-alvo, ou seja, o tipo de pessoa para a qual o estabelecimento será voltado. Sabendo quem são os frequentadores, já dá para ter uma ideia do tipo de comida, sobremesa e bebida que poderá agradar em geral.

Considere a estrutura da sua cozinha ao montar o cardápio também. Se for um espaço amplo, com vários equipamentos e muitos funcionários, alguns pratos poderão ser feitos na hora. Mas, se a estrutura for enxuta, o ideal é priorizar pratos fáceis, rápidos ou mesmo que possam ser pré-fabricados.

Priorize o controle de estoque

A ausência de determinado ingrediente pode comprometer toda a execução de um prato e fazer com que a opção fique indisponível no cardápio. Além disso, o excesso de ingredientes pode ocasionar um prejuízo muito grande, caso passem da validade.

O controle de estoque (que envolve não só a compra dos alimentos, mas de outros itens essenciais para o funcionamento do bar) é algo a ser feito de forma rotineira, normalmente em conjunto com a gestão ou com os colaboradores.

O ideal é fazer inventários periódicos, que permitem a categorização dos itens e que façam com que os gestores tenham uma boa visibilidade do que é prioritário no momento.

Como escolher a localização?

Boa localização é um dos fatores-chave para o sucesso ou não de um bar. Ele precisa estar em um local de fácil acesso, seja de carro ou transporte público. E, pensando também no seu público-alvo, considere as áreas da cidade que ele mais frequenta, sem se esquecer de analisar as concorrências diretas.

Pense que uma boa localização é aquela em que o cliente pode facilmente chegar se vier de casa ou mesmo do trabalho, normalmente perto das vias principais ou centrais da cidade.

Tenha o cuidado também de escolher um bairro onde a segurança não seja um problema. O ideal é que o cliente tenha visibilidade do seu bar e o identifique com facilidade.

Qual a importância dos fornecedores?

Por último, não poderíamos deixar de citar a importância de escolher trabalhar com bons fornecedores. Nada vai adiantar seguir todas as outras dicas e cuidados acima, se os fornecedores escolhidos não oferecerem as matérias-primas adequadas.

Sejam ingredientes ou equipamentos, é de fundamental importância que os seus fornecedores ofereçam a qualidade que os seus clientes procuram. Então, prefira trabalhar com empresas parceiras que tenham experiência e nome no mercado.

Claro que abrir um bar não é um processo que acontece do dia para a noite. É preciso se planejar financeiramente e definir a estrutura ideal para o tipo de negócio que você deseja. Mas, com organização, tudo é possível, e os seus sonhos poderão sair do papel.

Se você gostou deste post sobre como abrir um bar, aproveite para conhecer o nosso e-commerce, em que você pode adquirir todos os ingredientes e equipamentos de que precisa!

Você também pode gostar

Deixe um comentário