Como escolher um bom doce de leite? Veja 3 dicas que vão ajudar!

8 minutos para ler

Seja para saboreá-lo puro, seja para utilizá-lo na preparação das mais variadas receitas, quem trabalha no ramo de food service — principalmente em confeitarias, em padarias e nos demais estabelecimentos do nicho — sabe que um bom doce de leite tem o seu valor. Se esse ingrediente está comumente presente na sua culinária, entretanto, vale a pena conhecê-lo um pouco mais a fundo para saber como escolher o produto de melhor qualidade.

Você sabia, por exemplo, que existem diferenças entre o doce de leite brasileiro (mineiro) e o proveniente da Argentina (ou do Uruguai)? Conhece todos os tipos comercializados? Domina todos os aspectos que devem ser levados em conta para escolher o ideal? 

Neste conteúdo, falaremos justamente sobre esses pontos e ajudaremos você a acertar na escolha na hora de comprar um bom doce de leite para a preparação dos seus produtos, garantindo um sabor diferenciado e que agradará aos mais exigentes paladares. Vamos lá!

Quais são as diferenças entre o doce de leite brasileiro e o doce de leite argentino (ou do Uruguai)?

De forma mais simples e resumida, poderíamos pontuar que o doce de leite brasileiro, habitualmente, leva apenas açúcar e leite condensado na sua composição. Isso, inclusive, é o que dá a textura mais cremosa e a tonalidade mais clara de marrom ao produto. Por sua vez, os argentinos ou uruguaios costumam ter uma coloração que lembra um caramelo, bem como uma consistência um pouco mais firme, que é interessante para o uso na cobertura de bolos, por exemplo. 

“Mas por que há essa distinção?” — talvez você esteja se perguntando. O fato é que o doce de leite proveniente da Argentina ou do Uruguai traz, em sua composição, uma dosagem extra de bicarbonato de sódio, que é o responsável por essa alteração na textura e na cor. De fato, por vezes, os produzidos no nosso país também contam com o ingrediente, porém, comumente, em menor quantidade.

Além disso, alguns também levam favas, essências ou extratos na sua preparação e podem ganhar, por exemplo, um toque de canela e/ou de baunilha. No entanto, aprofundando-se um pouco mais nas razões por trás dessas diferenças, é possível entender que o bicarbonato presente nos produtos estrangeiros evita a coagulação da proteína do leite. “Então, isso os torna melhores que os produzidos aqui?”.

Bem, não há como responder a esse questionamento de forma precisa, já que o gosto, como é sabido, é algo muito particular — e, como dizem por aí, “não se discute”. Entretanto, algo vale ser destacado: um fato é que a Argentina está entre os maiores exportadores dessa iguaria, além de ser inegável que o tão famoso “dulce de leche” é uma paixão nacional.

Por lá, são inúmeras as receitas que levam o ingrediente na preparação, como flans, tortas, sorvetes, churros, alfajores e outras mais, e é praticamente impossível não encontrar uma dessas sobremesas no cardápio de qualquer restaurante que você resolva visitar.

Quais são os tipos?

As versões cremosas mineiras, produzidas no Brasil, e argentinas e uruguaias já foram mencionadas acima. Porém, ainda é possível encontrar, ao procurar um bom doce de leite, outros tipos comercializados por aí. Nesta seção, falaremos de alguns dos mais conhecidos.

Doce de leite de corte

Lembrando até uma bala, esse tipo de doce de leite é bem durinho e pode ser consumido em fatias. Geralmente, ele é encontrado em porções individuais embaladas, o que pode torná-las interessantes para a comercialização no seu estabelecimento. Uma boa dica é dispô-las à vista do cliente, em local próximo ao caixa, por exemplo.

Essa mesma versão, porém, também pode ser encontrada inteira, no formato de rodelas, lembrando um queijo, ou até cortada em retângulos, como as goiabadas. Naturalmente, nesse caso, já é necessário utilizar um utensílio, como uma faca de corte comum — daí, provavelmente, vem o nome —, para fatiá-la. 

Pingo de leite

Durinho por fora e extremamente cremoso no seu interior, sem dúvidas, essa é uma das alternativas mais conhecidas e encontradas com mais facilidade. O doce derrete na boca e também é uma excelente opção para a comercialização, já que é encontrado em porções embaladas individualmente. Nesse caso, vale a mesma dica dada acima: posicione os produtos perto do local de pagamento, bem à vista do cliente. 

Versões fit, zero, light e sem lactose

Para aqueles clientes que têm restrições alimentares e/ou optam pelo consumo de produtos “fit”, também é possível apostar nas versões que são preparadas sem açúcar, com o uso de adoçantes, com leite desnatado e até sem lactose. Ou seja, você não precisa deixar nenhuma parcela do seu público passar vontade! E o mais bacana é que é viável encontrar essas alternativas tanto em versões de corte quanto em versões cremosas. 

Combinados com outros ingredientes

Por fim, ainda vale mencionar aquelas opções que levam, por exemplo, paçoca, chocolate ou coco na preparação. Assim, o doce de leite — já tão saboroso por si só — pode ganhar um incremento incrível no paladar, surpreendendo os seus clientes amantes da sobremesa. Do mesmo modo que a versão anterior, essas alternativas também podem ser encontradas no formato cremoso ou de corte.

Como escolher um bom doce de leite?

A escolha de um bom doce de leite, de certo modo, está diretamente relacionada à finalidade para a qual você o utilizará. Entretanto, é claro, há pontos que não podem ser negligenciados independentemente do tipo de receita que você tem em mente, como uma marca de qualidade reconhecida e que faz uso de bons ingredientes. A seguir, veja alguns pontos que merecem atenção.

1. Avalie a consistência e a textura

Você pretende utilizar o doce de leite para rechear uma sobremesa ou na cobertura de um bolo? Acredite: a consistência e a textura devem ser avaliadas com o propósito de uso em mente. Afinal, cada caso pede uma versão mais adequada.

2. Confira os ingredientes

A essa altura, você já sabe que tanto é possível encontrar opções que combinam o tradicional doce de leite com outros ingredientes, como chocolate e coco, quanto é viável achar alternativas que fazem algumas substituições e que podem ser muito úteis para a preparação de doces menos calóricos ou direcionados a clientes que não podem consumir determinadas substâncias, como a lactose. Então, avalie a sobremesa que você pretende preparar e o público que almeja atingir no momento de fazer essa escolha.

3. Tenha atenção à marca

Como dito, independentemente da finalidade de uso, optar por uma marca que trabalhe com ingredientes de qualidade é fundamental. Então, vale considerar as melhores opções do mercado brasileiro atualmente, como:

  • Itambé, que é uma empresa de laticínios altamente conhecida e que produz um doce de leite que lembra bastante aquele que você só consegue utilizando uma panela de pressão e cozinhando uma lata de leite condensado;
  • Viçosa, que utiliza um leite de primeira qualidade e é uma das marcas mais famosas do Brasil, com um produto que foi pensado para ser o melhor, contando, inclusive, com a participação de especialistas da Universidade Federal de Viçosa;
  • Triângulo, extremamente semelhante ao doce de leite puro, o produto da marca tem uma maior consistência e também um sabor mais adocicado. Sendo assim, acaba por ser o mais recomendado para confeitaria, panificação e produção de diversas sobremesas, como alfajores, cucas, churros etc.

Como você pôde ver, para escolher um bom doce de leite, é necessário levar alguns pontos em consideração e ter um maior conhecimento sobre as diferenças entre as produções nacionais e internacionais. Além disso, a aplicação também é um elemento que faz total diferença no momento de considerar a textura, a consistência, a cremosidade e outros pontos mais que fazem a diferença no resultado final da sua sobremesa, garantindo um paladar que agradará até aos clientes mais exigentes.

E então? Este conteúdo foi útil? Que tal aproveitar para conhecer as nossas opções de alta qualidade e escolher a mais recomendada para as suas necessidades com toda a praticidade que uma compra online pode oferecer?

Você também pode gostar

Deixe um comentário