Tipos de sal: quais são e como usá-los em diferentes receitas

6 minutos para ler

Você é do tipo que acha que sal é tudo igual? Pois saiba que esse tempero tão famoso não aparece apenas em uma versão. Dependendo da sua preparação e até do público que deseja atender, é indispensável variar o uso. Para tanto, nada melhor que conhecer os tipos existentes, certo?

Essas opções variam em composição, em tipo de “fabricação” e até na origem de extração. Com isso, adicionam sabores e texturas diferentes aos pratos — e cada um é mais indicado para certas propostas. Na sequência, veja quais são os principais tipos de sal e descubra como adotá-los em suas receitas!

Sal refinado

Também conhecido como sal de cozinha, o sal refinado é o mais popular na mesa dos brasileiros. É aquele que a gente põe na batata frita ou coloca uma pitadinha na hora de preparar a comida, sabe?

Ele é obtido pela evaporação da água do mar e, depois, passa por um processo de refino. Assim, é possível se livrar das impurezas e deixá-lo mais branco. Como ocorrem perdas nessa etapa, ele conta com um pouquinho de iodo, que é importante para a nossa saúde. No geral, é recomendado para os pratos salgados básicos e serve para temperar carnes, mas não adiciona um sabor diferente.

Sal marinho

É bastante parecido, já que ele também é obtido a partir da evaporação da água do mar e tem adição de iodo. A diferença é que ele não passa por aquele processo de refino, sendo considerado mais natural.

Como não é tão processado quanto seu “irmão” famoso, é uma escolha comum entre quem procura alternativas saudáveis na hora de comer. Se você cozinhar para fora e quiser alcançar veganos, vegetarianos e entusiastas da comida saudável, essa é uma boa aposta.

Sal grosso

O famoso sal grosso é, na verdade, um tipo de sal marinho que não passa por um processo de refinamento. Apesar de ser mais mineral, passa por uma etapa de moagem para ficar um pouco menor. Em alguns casos, aparece misturado a ervas diversas. É uma ótima versão para quem deseja incrementar o sabor das preparações, sem exagerar na quantidade de sódio para o organismo.

A principal aplicação do sal grosso é em carnes, com destaque para a realização de churrascos. Como não resseca a proteína, ajuda a manter a suculência e adiciona sabor. Também pode ser usado para criar uma “capa”, como em peixes que vão ao forno.

Sal rosa

Entre os tipos de sal, a versão rosa está entre as mais famosas do mercado. Ele tem essa cor por causa das suas características de composição. Em geral, é um pouco úmido e forma alguns grãos maiores.

Uma versão que é bastante conhecida é o sal rosa do Himalaia, o qual é extraído da base dessa formação rochosa em que antes havia oceano. É extremamente mineral e entrega bastante sabor com menos sódio.

Com isso, costuma atrair quem busca sabor, sem abrir mão do cuidado com a saúde. Por causa da sua aderência fácil, é perfeito para temperar carnes cruas ou seladas. Também ajuda a destacar sabores suaves, como de alguns legumes, em vez de deixá-los com sabor salgado.

Sal negro

Obtido em algumas regiões da Índia, a versão negra é um dos tipos de sal mais interessantes do mercado. Ele tem uma coloração acinzentada e com um toque de rosa devido à sua composição mineral.

Por ser extraído, principalmente, de uma área vulcânica, conta com um teor elevado de enxofre. Sua aplicação na comida altera o sabor dos alimentos por causa dessa característica, mas a dosagem correta faz sentido para as preparações.

Ele é ideal para compor molhos ou para marinar carnes de diversos tipos. Como tem grãos maiores e crocantes, serve para adicionar textura em pastas leves ou em saladas.

Flor de sal

A flor de sal está entre as opções queridinhas dos preparos gourmets. Sua produção também tem a ver com o mar, já que ele sai das salinas. A diferença é que é retirado logo no começo do processo e tem ajuda do vento, o que garante um nível maior de pureza e grãos mais rústicos.

É repleto de minerais e ainda assim não “mascara” o sabor dos ingredientes — pelo contrário. Trata-se de uma ótima alternativa para temperar e, ao mesmo tempo, realçar o sabor de cada elemento do prato.

Diferentemente de outras opções, é usado na finalização do prato e não em seu preparo. Além de servir para peixes, carnes magras e legumes, é usado em algumas sobremesas. O caramelo com flor de sal, por exemplo, tem crocância e o sabor doce realçado.

Sal havaiano

O sal do Havaí é outra opção mineral e de sabor característico. É quase avermelhado, com um tom que lembra a cor de uma famosa argila havaiana. Além disso, a cor está ligada à composição, que é rica em dióxido de ferro.

Apesar de não ter tanto sódio em sua composição, é bastante ácido. Por isso, precisa ser consumido com cuidado para não causar algum tipo de desequilíbrio no corpo. Seu sabor marcante combina com preparações robustas, como cortes gordos de carnes, além de ajudar a finalizar saladas e outras preparações do tipo.

Sal líquido

O sal líquido parece uma invenção maluca, mas nada mais é que sal de alto grau de pureza diluído em água mineral. Isso faz com que ele tenha a menor concentração de sal, o que é ótimo para criar pratos que fazem bem para a saúde.

A sua aplicação é feita por spray e, por causa disso, fica bastante homogênea. Também é mais fácil controlar o resultado que será obtido, algo que coloca essa versão entre as preferidas de quem cozinha profissionalmente. É muito versátil e funciona com carnes, legumes, saladas e até na finalização. Só tome cuidado para não pesar a mão, combinado?

Os diversos tipos de sal atendem a gostos e receitas diferentes. Conhecendo essas opções, você poderá escolher a alternativa ideal para incluir nos seus pratos e conquistar de vez as pessoas. Como a qualidade do produto também é essencial, confira nossas ofertas de sal e faça as melhores compras!

Você também pode gostar

Deixe um comentário