10 tipos de açúcar utilizados na confeitaria que você precisa conhecer

6 minutos para ler

Não, não existe apenas um tipo de açúcar. Vai muito além daquele mais famoso, presente na mesa de todos os brasileiros, pronto para adoçar o cafezinho do dia a dia, para fazer sobremesas etc. As variações são muitas. Para o entusiasta de confeitaria ou para o profissional na área, é um passo a mais para a expertise, saber a diferença entre eles e quais os melhores para aprimorar as suas receitas.

Um fato importante sobre os tipos de açúcar que vale a pena ressaltar: quanto mais claro o produto, maior a intervenção química que ele sofreu. Açúcares em estados próximos ao natural apresentam mais nutrientes e sabor natural.

Sobre essas e outras diferenças para a sua cozinha, acompanhe neste artigo dez tipos de açúcares para experimentar. Acompanhe!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

1. Açúcar Cristal

Um ás na confeitaria, apesar de que no seu processo de produção e manipulação, assim como o refinado, perde nutrientes — quase 90% do total. Diferente do açúcar refinado, porém, este apresenta grãos mais grossos e transparentes.

Mas não deve-se negar de que é um ótimo material para a confeitaria, tendo em vista sua volatilidade e fácil derretimento quando em altas temperaturas. Muito utilizado para bolos no geral.

2. Açúcar Mascavo

Talvez, desta lista, o segundo que seja mais conhecido pelos brasileiros, além do tradicional branco, o açúcar mascavo, ou brown sugar, é obtido por meio da extração do caldo de cana concentrado.

De cor que varia do marrom-escuro ao dourado, apresenta uma certa umidade natural. Tem sabor e aroma marcantes de melado. É menos doce que o açúcar branco comum, apresentando certo equilíbrio. Uma ótima escolha para receitas de bolos, brownies e muffins, pois traz consigo a umidade que essas receitas pedem. Além, claro, do equilíbrio da doçura. Interessante para ser usado também em caramelos e pães adocicados e escuros.

3. Açúcar Refinado

O famoso açúcar branco produzido para que os grãos sejam mais finos, pequenos e secos. Pode ser encontrado também em cubinhos para facilitar a pesagem em receitas e quantidades. A razão de ser branco vem da fabricação feita com enxofre. O custo de ter uma aparência alva e elegante se mostra na perda de nutrientes no processo.

4. Açúcar orgânico

Em sabor, apresenta quase a mesma doçura que o refinado, sendo mais equilibrado, distanciando-se um pouco do sabor característico de um açúcar comum, por exemplo. Vai na contramão também no que diz respeito à perda de nutrientes.

Seu processo é inteiramente natural, desde o plantio ao resultado do produto final, sem aditivos ou fertilizantes. Requer um investimento maior, devido ao zelo pela sua produção. Dependendo da preocupação e da receita, pode valer a pena.

5. Açúcar de confeiteiro

Tão fino que a textura parece de talco. O açúcar de confeiteiro, como o próprio nome já diz, é um trunfo para as sobremesas. Tanto usado para decoração de bolos, tortas etc, quanto para incorporar receitas mais límpidas e homogêneas — aspecto necessário para fazer glassês e chantilly, por exemplo. Sua maleabilidade e espessura permitem, inclusive, que possa ser usado em receitas frias.

6. Açúcar Invertido

O nome é intrigante e pode ser conhecido também como trimoline. Sua consistência, textura e aparência é de um xarope. Se ele tem esse nome curioso é devido ao seu processo inusitado de feitura. Parte de uma solução provinda da reação de sacarose (o açúcar natural) que com adição de água e altas temperaturas, desemboca em um processo chamado hidrólise. Resultado: as moléculas se quebram formando glicose e frutose. Por fim acrescenta-se sucrose, o que acaba formando um xarope.

Perfeito para evitar a cristalização, o ressecamento e para auxiliar a manutenção de uma receita lisa e macia. Praticamente um conservante natural, muito recomendado para utilização em ganaches, balas e biscoitos. Pode ser encontrado em lojas especializadas de confeitaria ou em empresas capacitadas para food service.

7. Glicose ou Glucose

Conhecido tanto como glicose ou como glucose, é um xarope obtido por processo envolvendo milho, mel ou uvas. Assim como o invertido, esse é mais um dos tipos de açúcar que impedem que o alimento fique cristalizado. Muito comum nas fórmulas de refrigerantes. Nas confeitarias, é muito utilizado para receitas de nougats, sorvetes e marshmellows.

8. Açúcar impalpável

Similar ao açúcar de confeiteiro, é ainda mais fino e conta com a mistura de amido de milho em seu processo. A ideia aqui é que o amido tire a umidade do açúcar para não empelotar, como acontece com vários açúcares mais comuns e menos complexos. Perfeito para receitas específicas e sofisticadas, como os coloridos macarons e doces clássicos franceses.

Mas saiba que contando com os ingredientes corretos e de qualidade, é possível reproduzir em casa. Você precisará de colheres de sopa de amido de milho para cada xícara de chá de açúcar de confeiteiro. Una os ingredientes, bata no liquidificador e está pronto.

9. Açúcar Venille

O sabor de baunilha é muito bem-vindo na confeitaria, não é mesmo? O preço de um favo de baunilha, porém, não costuma ser a coisa mais barata de uma cozinha. O açúcar venille vem para tentar suprir essa demanda.

É produzido sob a influência de um composto químico, com sabor e aroma de baunilha, chamado vaniline. Não é muito facilmente encontrado, então para tentar aproximar-se do seu sabor, é possível fazer uma receita caseira contando com uma colher de café de essência de baunilha para cada colher de chá de açúcar refinado. Vai muito bem com biscoitos caseiros, bolos e massas doces.

10. Açúcar Demerara

Lembra do mascavo? Para variar ainda mais a vasta gama de tipos de açúcar, o demerara nada mais, nada menos, é o mascavo que passa por um processo específico de secagem. Isso lhe confere uma doçura mais aguçada. Os valores nutricionais de ambos são praticamente os mesmos. Sua dissolução é mais lenta e complexa, devido à presença de grãos maiores. Combina muito bem com receitas com crepes franceses.

Agora que você conhece vários tipos de açúcar diferentes, está na hora de experimentar. Incrível saber que contamos com variedade incrível de produtos que podem encaixar perfeitamente em diversas receitas diferentes, buscando potencializar os sabores.

Para contar com isso, é preciso valorizar a qualidade dos ingredientes, buscando o melhor serviço tanto em variedade quanto em facilidade de acesso e entrega. Se interessou? Entre em contato conosco e saiba mais. Até breve!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-