Se você já produziu pão ou pizza alguma vez já deve saber que há vários tipos de farinha de trigo, certo? Afinal, a quantidade de glúten, a textura e a potência desse ingrediente influenciam diretamente na fermentação do alimento e na maciez do produto final.

Até há pouco tempo, muitos profissionais sequer sabiam da existência de mais de um tipo de farinha de trigo. No entanto, com um mercado cada vez mais acirrado e com os profissionais indo em busca de capacitação, é muito importante se ater a cada detalhe para oferecer ao cliente um produto realmente diferenciado.

Mas como escolher a farinha de trigo para pizza e acertar em cheio na textura da massa? Acompanhe o miniguia que preparamos sobre as especificidades de cada tipo e não tenha mais dúvidas!

Tipos de farinha de trigo

Farinha tipo 00

Essa é a farinha mais refinada e, por isso, praticamente não contém vitaminas e minerais. É muito usada na Itália, mas ainda é difícil de ser encontrada no Brasil. A farinha 00 é perfeita para fabricação de pães e pizzas, pois possui muita umidade e glúten, o que deixa a massa mais elástica e macia. Por outro lado, não é boa para bolos, biscoitos e itens de confeitaria — a tendência é que o glúten deixe esse tipo de massa muito pesada.

Farinha tipo 0

Essa categoria é encontrada nos mercados do país com mais facilidade e, por isso, é muito usada na indústria de pães e em pizzarias, por também ser muito rica em glúten. É menos refinada que a farinha tipo 00. Em alguns estabelecimentos, opta-se por misturar a farinha tipo 00 e tipo 0 no preparo de massas de pizzas.

Farinha tipo 1

A farinha tipo 1 é a mais encontrada nos supermercados, aparecendo também nas versões especiais e com fermento. É a farinha que normalmente usamos no cotidiano. Também tem glúten em boa quantidade e é adequada para o dia a dia.

Farinha tipo 2

Quase sem nenhum refinamento, a farinha tipo 2 é extraída da camada mais externa do grão do trigo. Tem coloração levemente amarelada e absorve menos água. É ideal para preparar biscoitos, cookies e outros alimentos que não necessitam de maciez e elasticidade. A única farinha menos refinada que a tipo 2 é a integral.

Potência da farinha

A potência da farinha é outro aspecto que precisa ser considerado se a ideia é produzir um produto de altíssima qualidade. A força da farinha de trigo tem sua origem no DNA do grão e indica o quanto de glúten o ingrediente possui, ou seja, o quanto a farinha consegue ser esticada pela fermentação e pelo estiramento.

A força da farinha é medida em W, sendo 50 W a farinha mais fraca e 350 W a farinha mais forte. Saiba mais para não errar na escolha:

  • pizzas e pães de longa fermentação precisam de uma farinha mais forte, ou seja, com mais glúten (em torno de 300 W);
  • pães rápidos podem ser feitos com farinha média (200 W);
  • bolos, massas podres e biscoitos pedem farinha fraca, ou seja, com pouco glúten (150 W).

Algumas dicas extras

  • As farinhas ricas em glúten são brancas como talco. Mas não se deixe levar pelas aparências, pois algumas farinhas tipo 1 e 2 são branqueadas quimicamente.
  • Uma farinha ideal para pães e pizzas deve ter mais de 8% de proteína. Verifique o rótulo!
  • Na indústria, é comum o uso dos chamados melhoradores de farinha — produtos químicos que fazem com que uma farinha tipo 1, por exemplo, tenha uma melhor performance. O suco de limão também é muito usado como melhorador natural, já que contribui para a ativação do glúten.
  • É possível que uma mesma marca de farinha de trigo produza farinha 00 forte, 00 média e 00 fraca. Então, atenção a todos os detalhes!

Como você aprendeu, são muitas as nuances a serem consideradas ao escolher a farinha de trigo para pizza. Então, da próxima vez que for produzir a sua massa, tenha atenção a esses detalhes e se destaque da concorrência.

Outro fator importante é sempre utilizar ingredientes de alta qualidade. A vantagem é poder contar com a Nova Safra. Entre em contato e confira os produtos disponíveis!