O que é contaminação cruzada? 5 passos para evitá-la!

4 minutos para ler

Além do cuidado de oferecer uma alimentação saudável para os clientes, sempre temos que ficar atentos aos perigos invisíveis que rondam a manipulação de alimentos. A contaminação cruzada é um dos principais. Se você possui um restaurante, hotel ou até mesmo um pequeno negócio no ramo da alimentação, essa preocupação é ainda maior.

Mas não se preocupe! Leia este texto até o final para conhecer um pouco mais sobre a contaminação cruzada e como evitá-la em 5 passos.

O que é a contaminação cruzada?

Acontece geralmente quando um alimento cru — contaminado por bactérias, vírus ou parasitas — entra em contato (direta ou indiretamente) com um alimento pronto para o consumo. Isso ocorre quando utilizamos uma faca para cortar carne crua e depois usamos essa mesma faca (sem lavá-la) para cortar outro alimento, por exemplo.

Dessa maneira, o micro-organismo causador de doenças que pode estar presente no alimento cru é transmitido para o alimento saudável, podendo causar uma DTA — Doença Transmitida pelo Alimento. A maioria das DTA são infecções causadas por bactérias e suas toxinas. E sim, elas podem matar.

Na contaminação cruzada, os micro-organismos causadores de infecções mais comuns são as bactérias, como a Salmonella e a Escherichia coli — encontradas no ovo e no leite não pasteurizado, vegetais não higienizados e carnes cruas  — ou por vírus e parasitas como a tênia, presentes nas carnes cruas ou mal cozidas.

Para enfatizar a seriedade do assunto, dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que uma a cada 10 pessoas é acometida por DTA, que podem ser especialmente fatais em crianças de até 5 anos.

Além da contaminação cruzada por micro-organismos, temos que ressaltar também os problemas com alergias. Misturar alimentos com glúten e sem glúten, por exemplo, pode afetar quem é celíaco.

Como evitar a contaminação cruzada?

Agora que você já conhece o problema, vamos dar 5 dicas para evitar a contaminação cruzada na sua cozinha.

1. Não misture carne crua com alimentos prontos

Como dito anteriormente, é exatamente isso que vai causar a contaminação cruzada na sua cozinha. Separe os alimentos em recipientes fechados para evitar o contato entre crus e cozidos na hora de armazená-los.

2. Deixe cada alimento com seu utensílio

Tenha em mãos uma faca e uma tábua para cada tipo de alimento. Preferencialmente, tenha utensílios separados para os alimentos crus e cozidos. Separe as bancadas que vão manipular carnes e vegetais, sempre tendo em conta o fluxo de trabalho. Caso não seja possível, lave tudo muito bem e higienize os objetos antes de partir para o próximo corte.

3. Lave os alimentos

A comida percorre um longo caminho até chegar à mesa. Isso possibilita uma infinidade de chances para as infecções pegarem carona. Lave bem os alimentos — inclusive ovos. Cozinhe bem as carnes, higienize os vegetais com uma solução a base de hipoclorito de sódio e mande embora os caroneiros indesejados.

4. Lave as mãos

Essa dica pode parecer óbvia, mas é no descuido que a contaminação cruzada acontece. Além de lavar as mãos após mexer no lixo ou em um alimento cru​, é preciso prestar atenção: muitas vezes, sem nos darmos conta, passamos a mão no cabelo, no nariz e por aí vai. Portanto, lave as mão com muita frequência!

5. Cuide da temperatura dos alimentos

Mesmo depois de cozidos, mantenha os alimentos na temperatura correta para evitar novas contaminações. Se você tem ou quer montar um serviço de buffet, por exemplo, tenha em mente que muitas pessoas vão passar por ele. As bactérias virão junto com seus clientes mesmo sem serem convidadas! Fique de olho na temperatura.

As infecções alimentares são um problema crescente no mundo e cabe a cada um de nós fazer sua parte para combatê-las e conseguir assim uma qualidade de vida melhor para nossa família e clientes.

Já conhecia os perigos da contaminação cruzada? Deixe seu comentário neste post dizendo quais as dicas que você já aplica no seu dia a dia!

 

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-