Historicamente o ser humano sempre procurou formas de preservar os alimentos por mais tempo, fosse para sobreviver a um longo inverno ou a uma viagem exploratória em terras distantes. Dessa necessidade surgiram técnicas e produtos em conserva que sobrevivem até hoje, com modificações que trazem o conhecimento científico para dentro de picles, geleias e salmouras.

Escrevemos este post para mostrar como funcionam as conservas, quais os principais tipos existentes e como escolher a ideal para a sua cozinha. Continue a leitura e confira.

Como funcionam as conservas?

De forma geral, conservas são técnicas ou preparações que visam reduzir ao máximo a atividade microbiana nos alimentos ao retirar a água deles, isolá-los do ar ou ambos. Seja por meio de salga, secagem ao sol, confecção de geleias ou picles, os métodos de conserva de alimentos diminuem a chamada atividade de água do produto, que nada mais é que a concentração de água dentro do alimento a qual torna-o impróprio para a maioria dos microrganismos.

Junte-se a isso a cocção, a imersão em óleo ou ácido e a alteração do pH e as conservas se tornam uma das formas mais engenhosas de armazenamento de alimentos já criada pelo ser humano.

Quais são os principais tipos de conserva?

Como vimos, as conservas desempenharam um importante papel na sobrevivência de comunidades inteiras ao longo da história e hoje não apenas tornam o dia a dia mais prático como podem trazer sabores e texturas diferentes aos alimentos.  Conheça um pouco mais sobre alguns dos principais tipos de conserva existentes.

Compota e geleia

Muito semelhantes entre si, não é raro que esses dois métodos gerem confusão na maioria das pessoas, sobretudo em quem começa a investigar o assunto. Ambas as preparações podem ser classificadas como uma mistura espessa de frutas com açúcar, contudo, a diferença entre a geleia e a compota reside em dois elementos: a concentração de sólidos e a presença ou não de pectina.

De forma geral, podemos dizer que as compotas são mais líquidas, possuem uma consistência mais fluida e comumente apresentam pedaços maiores de fruta, visíveis a olho nu com bastante facilidade. Em todo caso, as compotas nunca levam pectina.

Já as geleias são bem mais concentradas, com um percentual de água muito inferior ao das compotas, chegando mesmo a atingirem o ponto de corte. Embora haja no mercado geleias com pedaços de frutas, esses são acrescentados posteriormente, uma vez que dificilmente resistiriam ao longo processo de cocção. Geleias costumam receber pectina, seja artificial ou natural, a fim de atingirem a consistência desejada.

Chutney

Preparação clássica da cozinha indiana, o chutney tem ganhado o mundo gastronômico por sua complexidade de sabores e versatilidade ao unir sabores doces, salgados e mesmo ácidos em um único prato de forma harmoniosa e elegante.

Chutneys são molhos agridoces preparados a partir de frutas, açúcar e vinagre. Além do sabor, se caracterizam também pela forte presença de especiarias e condimentos dos mais variados. Originalmente a adição de especiarias visava prolongar a vida útil do molho, mas hoje elas são acrescentadas com o propósito de enriquecer o sabor e o aroma do chutney.

Embora possua consistência cremosa, não chega perto da firmeza das geleias ou mesmo das compotas, estando bem mais próximo de um molho encorpado.

Picles

Popularizada pela cultura norte-americana de consumo de hambúrgueres com picles de pepino em sua composição, essa técnica é, na verdade, bastante versátil e pode ser usada em uma infinitude de legumes e verduras.

Talvez você nunca tenha prestado atenção, mas um produto que é largamente consumido em forma de picles no Brasil é o palmito. Isso mesmo: o palmito que compramos nos supermercados, imersos em uma solução aquosa em potes de vidro são, na verdade, picles de palmito.

Os picles nada mais são que a imersão do alimento que se deseja conservar em uma mistura de salmoura ou vinagre a fim de retardar a ação bacteriana e prolongar a vida útil do alimento. Embora os mais comuns sejam levemente ácidos e salgados, os picles podem ser também amargos, picantes ou mesmo adocicados, tudo vai depender da matéria-prima e da técnica usada.

Salga de legumes

Outro tipo de produto em conserva bastante tradicional e que pode ser encontrado com facilidade nas prateleiras ou mesmo ser feito em casa é a salga de legumes.

Aqui os legumes são brevemente cozidos, depois são secos, salgados e armazenados em um recipiente previamente esterilizado, sendo então cobertos completamente por vinagre. Podem ser usados em preparações diversas ou mesmo consumidos diretamente da conserva, como petisco ou tira-gosto.

Nesse método, o cozimento parcial e a salga eliminam a maior parte das bactérias presentes naturalmente nos legumes, enquanto a imersão em vinagre visa reduzir o contato do alimento com o oxigênio para prolongar sua vida útil.

De que modo escolher produtos em conserva?

Diante da vasta quantidade de opções de produtos em conserva disponíveis no mercado, você pode se sentir um pouco confuso na hora de escolher qual deles usar nas suas preparações. Por isso, listamos algumas orientações que você pode ter em mente na hora da escolha.

Use diversos ingredientes

Claro que uma alimentação saudável passa pela escolha correta dos ingredientes, sejam eles in natura ou em conserva. Assim, procure diversificar sua ingestão de frutas e legumes, montando pratos coloridos e apetitosos para garantir a presença de diferentes nutrientes.

Leia as informações do rótulo

Como ocorre com todo produto industrializado, também as conservas apresentam rótulos com todas as informações nutricionais daquele alimento, além de dados importantes como a data de validade. Além disso, é possível também ver se os produtos usados na conserva são naturais ou transgênicos, possibilitando uma escolha mais consciente.

Cuidado com o estado da embalagem

Um fator crucial para garantir a segurança da conserva é o isolamento do meio externo. Por isso, sempre verifique se não há sinais de rachaduras, amassados ou estufamentos nas latas (esses podem ser sinais de atividade microbiana). Nos vidros, verifique se a embalagem está hermeticamente fechada, se não há trincos e se a conserva apresenta boa aparência.

Diversifique

Como já mencionamos, uma alimentação saudável depende de uma dieta diversificada. Por isso, procure misturar o consumo de produtos em conserva com produtos in natura, extraindo o melhor de cada um. Basta seguir as dicas que listamos aqui e ficar atento àquilo que consome.

E então, o que achou das nossas dicas? Com elas você pode ficar muito mais tranquilo na hora de escolher os melhores produtos em conserva para usar em suas receitas, garantindo qualidade e sabor em cada preparação.

E se você quer receber mais conteúdos com dicas sobre gastronomia ou mesmo sobre empreendedorismo no segmento de alimentos e bebidas, não deixe de curtir nossa página no Facebook e de assinar nosso canal no YouTube para acompanhar sempre que publicarmos um vídeo novo por lá.