Considerado um dos ingredientes mais nobres da cozinha, o azeite tem um histórico milenar e faz parte do dia a dia de muitas pessoas ao redor do mundo. Existem azeites diferenciados e é importante saber identificá-los para fazer uma boa compra.

Em geral, eles são classificados de acordo com a qualidade da azeitona — que dá origem a esse tipo de óleo — mas outras variáveis, como o processo de fabricação, também influenciam no resultado final.

Neste post, você vai entender a diferença entre os principais tipos de azeites, quais são as opções mais fáceis de encontrar e alguns benefícios que ele oferece à saúde. Confira!

Azeite de oliva

Basicamente, todo azeite é obtido a partir dos frutos da oliveira, que são moídos até que se forme uma pasta. Depois disso, o óleo e a polpa são separados e todo o processo deve seguir critérios relacionados ao tempo e a temperatura.

O produto que apresenta na embalagem apenas a descrição “azeite”, nada mais é do que um mix composto por azeite refinado e, até mesmo, outros tipos de óleos. Esse processo acontece porque os frutos não eram tão bons e, por isso, precisaram passar por diversos processos de refinamento.

O azeite lampante também se enquadra nessa categoria. Por conta de certos problemas, como acidez e odor, ele precisa ser refinado várias vezes, resultando no azeite comum. Esse não é um produto ruim, mas contém menos oxidantes, podendo ser usado em frituras e receitas de pães, por exemplo.

Azeite de oliva extravirgem

A versão extravirgem é a de mais alta qualidade, pois ela é obtida através de um rigoroso trabalho que começa ainda na colheita. Ela passa por um processo de extração mais controlado e deve ser, até mesmo, armazenada de forma diferenciada.

O extravirgem é considerado o azeite mais saudável, e não há nenhum tipo de aquecimento durante sua fabricação. Justamente por isso, seu uso é o mais recomendado quando não há processo de cozimento no preparo da receita. Assim, todas as suas propriedades, como polifenóis e antioxidantes, podem ser mantidas.

Azeite de oliva virgem

O azeite virgem não é tão puro quanto o extravirgem, mas possui um sabor mais leve e reúne excelentes propriedades. Considerado um pouco mais ácido do que a versão anterior, ele também é indicado para pratos frios, ou que serão aquecidos depois do preparo.

Quando aquecido, o azeite virgem também tem seu sabor e aroma ressaltados, ao contrário do extravirgem. Por isso, é indicado que ele seja usado durante o preparo de carnes e refogados em geral. Além disso, cada tipo de fruto usado na elaboração do azeite rende características especiais que devem ser levadas em consideração para a harmonização dos pratos.

Benefícios dos azeites diferenciados

Para aproveitar os melhores benefícios dos azeites, sempre escolha entre os virgens e os extravirgens, pois os comuns são misturados com outros óleos e o refinamento faz com que muitas qualidades sejam perdidas.

Além disso, esses azeites contêm substâncias com propriedades que ajudam a prevenir o câncer, melhorar o nível do colesterol bom, evitar a diabetes e, também, manter o bom funcionamento do fígado — sendo que o extravirgem concentra ainda mais substâncias benéficas.

Já conhecia todas essas características dos azeites diferenciados? Aproveite também para conferir nossa seleção de azeites que você pode adquirir agora mesmo!