Com o início da primavera, as temperaturas começam a subir em todo o país e a única coisa melhor que um sorvete para refrescar é um autêntico gelato italiano.

Mas, você sabe diferenciar o gelato de um sorvete comum? Sabia que as diferenças não estão apenas no preço, mas em todo o processo de fabricação? Acompanhe-nos ao longo deste post e descubra um pouco sobre a história da delícia que virou um ícone italiano!

Qual a história do gelato?

A história do gelato italiano é incerta, mas acredita-se que teve início há mais de 3 mil anos, na China, onde era feito com uma mistura à base de neve, mel, frutas e gema de ovo. De lá, passou pelos povos árabes com o nome de sberbeth — de onde teria vindo o francês sorbet —, mas foi só na Itália que a mistura recebeu leite, aproximando-se assim do famoso gelato que conhecemos hoje.

Há ainda uma outra versão da história, menos difundida, segundo a qual o gelato teria sido inventando pelo imperador romano Nero. Segundo essa vertente, Nero teria mandado trazer neve dos picos gelados das montanhas para comer com frutas.

Sorvete ou gelato?

O gelato italiano anda longe de ser apenas mais uma moda da onda gourmet. Pelo contrário: o produto, clássico italiano, se diferencia do sorvete tanto na forma de preparo quanto no resultado final e até mesmo nos aspectos culturais.

O autêntico gelato italiano artesanal é produzido diariamente somente com ingredientes frescos, sem aromatizantes, conservantes ou qualquer aditivo químico.

O artesão inicia o processo com uma calda de água e açúcar, à qual se adiciona o leite e também os ingredientes que darão o sabor ao gelato, como frutas frescas, chocolate, castanhas, etc.

Segundo os grandes mestres gelatieri, existe uma proporção entre água e açúcar que varia, dependendo de cada sabor. Isso porque cada tipo de açúcar adicionado à mistura (como sacarose ou mel) tem uma temperatura de congelamento diferente. É a combinação dessas características que dará a cremosidade típica do gelato artesanal.

Outra característica que diferencia o sorvete industrializado do seu primo italiano é a quantidade de gordura e de ar: o gelato possui bem menos ar, o que confere uma textura mais encorpada à sobremesa, e chega a ter até 50% menos gordura que o sorvete.

Isso ocorre porque o sorvete industrial tem de suportar um tempo de prateleira bem maior, e a gordura ajuda a conservar o produto. Como o gelato é sempre fresco, requer bem menos gordura.

Além disso, o gelato também é servido a temperaturas mais altas que o sorvete, o que ajuda a deixá-lo mais cremoso e saboroso — quanto mais gelado o sorvete, mais anestesiadas as papilas gustativas e menos sabor você percebe.

Quais os sabores mais famosos?

Assim como ocorre com as pizzas e com outros clássicos da cozinha italiana, os sabores mais tradicionais do gelato são aqueles de frutas, geralmente da estação, como morangos, frutas vermelhas, pistache, figos e avelãs.

Entretanto, hoje já existem gelaterias com uma infinidade de sabores, indo desde Nutella até queijo mascarpone com pera.

Gostou do nosso material? Ficou com vontade de tomar um verdadeiro gelato italiano? Então aproveite e curta nossa página nas redes sociais, estamos no Facebook e no YouTube!