Ao começar a comercializar a sua mercadoria — seja ela uma novidade para o setor alimentício ou um produto já estabelecido — o empreendedor costuma se deparar com uma grande dúvida na hora de precificar produtos. Ainda que ele saiba que definir um bom preço é uma maneira de atrair novos clientes, encontrar a melhor forma de precificar seus produtos traz, também, outras vantagens para a sua estratégia de vendas.

Agradar o consumidor, estar harmonizado com o seu público-alvo, enfrentar a concorrência e obter lucro suficiente para quitar todas as despesas são apenas alguns exemplos. Dessa forma, não é à toa que o preço errado pode gerar grandes problemas para as contas da empresa e para a relação entre vendedor e cliente.

Pensando nisso, separamos 4 dicas para que você possa precificar agora mesmo os seus produtos da melhor maneira possível! Confira: 

1. Defina suas despesas

Nós entendemos que é tentador baixar os preços das suas mercadorias a fim de atrair mais clientes, principalmente para quem trabalha em restaurantes, padarias e outros mercados do ramo de alimentação. Essa estratégia, no entanto, gera um risco que atinge até mesmo aqueles com um grande poder de venda.

O que acontece é que se lucra muito pouco – tão pouco que torna-se impossível cobrir os custos. No fim das contas, você pode até ter um bom fluxo de clientes, mas o lucro é baixo e a empresa começa a acumular dívidas.

Em vista disso, é muito importante saber quais são os custos que a empresa possui. Vale a pena analisar todas as suas despesas: desde pagamentos, compras de ingredientes e impostos até contas de luz, água, telefone, entre outras. Dessa maneira, é possível determinar um preço adequado e que não vai prejudicar as suas contas.

2. Estabeleça o quanto quer lucrar

Após saber quais são os seus gastos, o próximo passo é determinar o quanto de lucro suas vendas devem render. Isso é muito importante, já que o valor da venda não pode ser apenas para manter a empresa. É preciso que todo o seu esforço gere, também, o suficiente para o seu proveito.

O lucro deve sempre significar o faturamento pelas vendas somadas aos custos. Como não existe uma média de lucro específica que sirva para todos os empreendimentos, a tarefa de achar uma margem ideal e equilibrada compete a você. Apenas não se esqueça de que o lucro nunca deve ser abaixo do que sua empresa gasta.

3. Preste atenção no que acontece no mercado

Procure não sair muito dos preços de venda que estão no mercado para o seu produto. É importante que ele não tenha uma grande diferença em comparação com os seus concorrentes, a não ser, é claro, em caso de promoções ou estratégias de enfrentamento.

Contudo, a guerra de preços não pode se tornar um hábito. Deve-se considerar que, em alguns casos, o concorrente pode ter certas vantagens, como melhores condições junto aos produtores. Além disso, as chances de você não conseguir cobrir suas despesas e entrar em falência são bem grandes.

Dessa maneira, ao invés de focar somente na concorrência, procure estar atento às estratégias de precificação.

4. Escolha a melhor estratégia para precificar produtos

Existem duas estratégias bastante conhecidas no mercado. A primeira consiste em colocar o maior preço possível e, conforme o tempo, ir reduzindo-o. Essa alternativa é a mais indicada para quem está lançando um novo produto e precisa resgatar altos custos do seu investimento. No entanto, ela só funciona quando não há concorrência.

A segunda diz respeito a produtos que já têm uma tradição no mercado. Nesse caso, se coloca um baixo preço, aumentando-o gradativamente. Essa estratégia funciona bem quando se quer conseguir clientes e fidelizá-los.

Agora que você já conhece as principais dicas para se precificar produtos, que tal colocá-las em prática no seu negócio? Dessa forma, tanto você quanto os seus clientes sairão ganhando.

Gostou do post de hoje? Para ficar sempre por dentro de novidades e conteúdos como esse, não deixe de curtir a nossa página no Facebook!