O azeite de oliva é um produto que utiliza a azeitona como matéria-prima. Existem três tipos principais: o azeite extravirgem, o azeite virgem e o azeite refinado. Todos eles são utilizados para fins culinários e na alta gastronomia, como em frituras, molhos, acompanhamentos e finalizações, e possuem sabor e aromas marcantes, capazes de elevar, e muito, a qualidade de um prato.

Ficou interessado? Então continue a leitura desse post e aprenda um pouco mais sobre os tipos de azeite!

Quais são as diferenças entre os tipos de azeite?

A diferença entre os tipos de azeite está no número de etapas de refinamento pelas quais cada um passa. Com isso, há uma alternância de acidez do óleo e, consequentemente, do sabor, do aroma, das propriedades e também da qualidade.

É importante mencionar que o consumo de azeite de gordura é indispensável em uma dieta saudável, pois esse produto possui benefícios, cientificamente comprovados, que estão relacionados à saúde do coração, da pele e dos cabelos, além de ajudar a combater outros problemas por conter propriedades antioxidantes.

Saiba, agora, quais são as características principais de cada tipo de azeite, como identificar o tipo de azeite e em quais situações cada um é recomendado.

Azeite extravirgem

Com o menor percentual de acidez, de até 0,8%, esse é o tipo de azeite prensado a frio e que não passa por nenhum refino químico, mantendo seus benéficos nutrientes. Considerado o mais saudável, é capaz de combater o famoso colesterol ruim, afastar o risco de doenças cardíacas e o diabetes e impedir o depósito de gordura abdominal.

Sua utilização deve ser, preferencialmente, em preparações que não vão ao fogo, para finalizar pratos, como saladas e sopas e sobre pães, queijos e outros petiscos. Se aquecido, é possível que a gordura perca as suas propriedade benéficas. Assim, atente-se a isso!

Azeite virgem

Contendo uma acidez acima de 0,8% e de até 2,0%, esse tipo de azeite é obtido a partir do fruto da oliveira, exclusivamente por processos físicos, também chamados de mecânicos. É considerado uma gordura de boa qualidade, mas quando comparado ao azeite extravirgem pode apresentar algumas características inferiores em relação ao cheiro e ao sabor.

Quando aquecido, seu sabor torna-se mais adocicado e seu aroma é ressaltado, por isso sua utilização é indicada em preparações que vão ao fogo. Seu principal uso na culinária acontece em indústrias. Nesses casos, é misturado com outros tipos azeites.

Azeite refinado

Supera o índice de 2% de acidez ou apresenta defeitos sensoriais (cor, sabor, aroma), seja por procedimentos ou por problemas climáticos, e passa por um processo químico de refinamento que elimina todos os problemas do óleo, sem modificar a sua estrutura química.

Quando comercializado (normalmente apenas para a produção industrial), recebe a adição de outro tipo de azeite de oliva, como o extravirgem e o virgem.

Para conhecer o tipo e comprar o melhor, é fundamental ler o rótulo e identificar o percentual de acidez. Lembre-se de que quanto menor for esse percentual maior será a pureza do produto. Outra dica é escolher aquele cuja produção foi realizada em um só local, unicamente a partir das azeitonas.

Agora você já conhece as principais diferenças e características do azeite extravirgem, do azeite virgem e do azeite refinado. Não se esqueça de que, embora o óleo contenha vitaminas e nutrientes benéficos ao corpo, não é indicado exagerar na quantidade diária consumida.

Gostou do nosso post? Então compartilhe em suas redes sociais para que seus amigos também saibam um pouco mais sobre os tipos de azeite de oliva!