contador

Você já ouviu falar no MEI no ramo alimentício? A formalização do microempreendedor individual proporcionou muitas vantagens para quem trabalha sozinho ou tem um pequeno negócio, como um restaurante ou uma doceria.

Hoje trouxemos informações que podem te ajudar a entender melhor o que é o MEI e como ele pode ajudar pessoas que trabalham no ramo alimentício. Confira!

Como se tornar um MEI?

Para se tornar um MEI primeiro é preciso saber se você preenche os requisitos necessários. O faturamento máximo deve ser de R$60.000,00 anuais e você também precisa acessar o site do portal do empreendedor e verificar se a atividade que realiza está incluída como elegível para essa categoria. No ramo alimentício algumas das atividades permitidas são: confeiteiro, cozinheira, doceira, pizzaiolo em domicílio, salgadeira, entre outras.

Após conferir que seu perfil é elegível, é preciso realizar um cadastro. Tenha em mãos documentos como o Título de Eleitor, CPF e recibo do imposto de renda. Com o cadastro realizado, você precisará realizar o pagamento do carnê, o DAS.

Quais os benefícios?

Maiores chances de empréstimos

Por mais que seu negócio seja pequeno, você já imaginou quais seriam os benefícios em ter um CNPJ, uma Inscrição Estadual e uma Inscrição Municipal? Ao se formalizar, você é, de fato, visto como um empreendedor e desfruta dos benefícios disso. Um deles é a possibilidade de conseguir abrir uma conta jurídica no banco, aumentando as chances de conseguir empréstimos para expandir sua empresa.

Emissão de notas fiscais

Quando você é formalizado como MEI, pode emitir notas fiscais. Isso é muito vantajoso, já que muitas empresas (principalmente as grandes) exigem a nota fiscal. Uma empresa que realiza a entrega de marmitex, por exemplo, pode perder grandes oportunidades de fornecimento para clientes importantes, caso não emita notas fiscais.

Vale lembrar que, embora muitos pensem que não é interessante emitir as notas por conta dos impostos, o valor dos tributos que o MEI paga não está relacionado à quantidade de notas emitidas.

Cobertura previdenciária

Auxílio-doença, salário-maternidade, aposentadoria por idade e outras vantagens que a cobertura previdenciária oferece, também podem ser desfrutadas por quem é MEI. Quem trabalha no ramo de alimentação sabe que acidentes podem acontecer, portanto, é importante assegurar que estará preparado caso algo ocorra.

Quais são os deveres e direitos?

Uma das melhores partes é que o valor do imposto que um MEI paga é de 5% do salário-mínimo, o que atualmente representa R$44,00. Um valor baixo, levando em consideração que um profissional liberal paga 20%. Prestadores de serviço também pagam mais R$5,00 e profissionais da indústria e do comércio pagam mais R$1,00.

Esse valor deve ser pago mensalmente, mesmo que não haja faturamento, mas é um preço em conta, que tem como objetivo estimular a formalização desse tipo de profissional para que ele tenha acesso aos benefícios.

O MEI também pode ter um funcionário regularizado, que receba um salário-mínimo ou o piso da categoria da atividade que ele exerce. Portanto, você tem a opção de captar mais clientes, conseguir capital para aumentar a empresa e ainda ter um funcionário que o ajude. Interessante, não é? Que tal dar o próximo passo e se formalizar como MEI agora mesmo?

Gostou do texto? Então curta nossa página no Facebook, assine nosso canal no Youtube e tenha acesso a conteúdos como esse em primeira mão!