palmito-2

Muita gente adora palmito, afinal é um produto saboroso, versátil e que cai bem em diversos pratos. Mas na hora de comprar esse ingrediente você pode se depara com diferentes tipos de palmitos, o que algumas vezes dificulta a escolha da melhor opção para sua receita.

Origem, textura e sabor são algumas variações entre os palmitos que podem ser um diferencial na elaboração do prato.

Confira neste post 5 tipos de palmitos, com suas principais características e peculiaridades, para que você se sinta mais seguro na hora de escolher esse ingrediente.

1. Palmito pupunha: o mais comum entre os tipos de palmitos

O palmito pupunha é o mais presente no mercado e o mais sustentável, pois, ao contrário dos outros tipos de palmitos, ele possibilita o plantio e replantio em um curto período de tempo e a palmeira não morre ao ser cortada.

Tem sabor suave, é fibroso com miolo macio e possui baixo teor calórico. Geralmente não escurece, pois não possui antioxidantes, ou seja, é ideal para saladas e pratos nos quais o palmito é servido cru.

2. Palmito juçara: ameaçado de extinção

O palmito juçara é natural da Mata Atlântica e costuma ser mais vistoso e carnudo, se comparado aos outros tipos de palmito.

No entanto, essa é uma espécie ameaçada de extinção, devido à extração massiva ilegal. Na produção, aproveita-se somente 10% da palmeira, a planta morre ao ser cortada e seu ciclo de replantio demora cerca de dez anos até o desenvolvimento de uma planta adulta.

3. Palmito açaí: alternativa ao palmito juçara

Macio e suculento, esse palmito assemelha-se com o juçara. É nativo da Mata Atlântica e despontou no mercado quando o juçara entrou em ameaça de extinção.

Apesar da extração do palmito açaí ser baseada na exploração, é menos nociva do que a extração do juçara, já que cada touceira de açaizeiro possui de 4 a 5 caules, permitindo que a extração aconteça alternadamente entre as árvores.

Assim como o pupunha, é um dos diferentes tipos de palmitos mais presentes no mercado.

4. Palmeira Real: sabor brando e delicado

O palmito extraído da palmeira real é menos comum, no entanto, oferece um produto de textura macia, cor branca e sabor brando e delicado, entre o doce e o amargo.

Originária da Austrália, mas que se adaptou muito bem ao solo e clima brasileiro, a palmeira real era utilizada para fins ornamentais e só depois descobriu-se seu potencial para a produção de palmito.

5. Guariroba: palmito exótico e peculiar

Esse é um palmito nativo brasileiro, bastante peculiar e pouco conhecido.

Possui uma textura firme e, por isso, deve ser cozido antes do consumo. Possui um sabor amargo, que combina muito bem com carnes e sabores ácidos.

Dicas para escolher

Independentemente do tipo de palmito, é importante ter alguns cuidados na hora de escolher o ingrediente.

Prefira os potes de vidro aos enlatados, assim você pode verificar a aparência do palmito, como textura e tamanho.

Não compre se a água estiver colorida, branca ou turva e nem se o palmito estiver flutuando, pois isso significa que ele está com falta de oxigenação e vai estar duro. Além disso, se ao pegar a embalagem a tampa estiver estufada ou amassada, existem grandes chances de o palmito estar contaminado.

Por fim, compre apenas produtos que apresentem registro no Ministério da Saúde e IBAMA na embalagem. Isso indica que o produto é ecológico e provém de uma plantação planejada.

Conhecer as diferenças entre os palmitos é importante para a elaboração do prato, visto que cada um possui texturas, sabores e tipos de cultivo diferentes.

Portanto, não deixe de experimentar os diferentes tipos de palmitos. Eles podem ser encontrados facilmente em supermercados e empresas de food service, e a escolha certa pode dar um toque especial aos seus pratos.

Gostou das nossas informações sobre tipos de palmitos? Então que tal curtir nossa página no Facebook e seguir nosso canal no YouTube? Assim você não perde nenhuma novidade.