editorias_gestao_20120323_c

A sua vontade é abrir um comércio próprio, mas você não sabe por onde começar? Saiba que, para abrir uma empresa, vários questões devem ser levados em consideração: quanto dinheiro é necessário para iniciar, quais procedimentos legais devem ser cumpridos e quanto tempo tudo leva para ficar legalizado. Mas, além disso, outro quesito importantíssimo deve ser levado em conta: a mão de obra.

Seus empregados serão uma peça fundamental no sucesso da sua empresa e, por isso, é primordial saber, antes de tudo, a quantidade de funcionários que seu empreendimento precisará.

Mostraremos, nesse artigo, conselhos e dicas de como fazer isso de forma precisa. Confira!

Por que é importante se preocupar com a quantidade de funcionários?

Ter funcionários trabalhando para o seu estabelecimento significa ter que pagar mais do que apenas um salário mensal. A CLT estabelece como direitos o pagamento de alimentação, transporte, férias, 13° salário e contribuição à previdência social, entre outras coisas, fazendo com que o gasto final com um funcionário seja quase o dobro do salário a ser pago.

Por isso, é essencial um cuidado muito grande ao contratar, principalmente, para o empresário que está começando agora. Para minimizar todo esse custo, é preciso evitar ao máximo ter mais funcionários do que sua empresa precisa. Afinal, você não quer ter despesas desnecessárias, certo?

Como definir a quantidade certa de funcionários?

A quantidade de profissionais necessários está relacionada ao ramo de atuação da empresa, ao porte do empreendimento e o nível de capacidade de produção que se deseja ter. Por isso, não existe uma regra geral: cada tipo de negócio terá características diferentes.

O empresário precisa definir por quantas horas por dia o estabelecimento funcionará, por exemplo, para, a partir disso, saber de quantos funcionários precisará e quantas horas eles deverão trabalhar.

O importante aqui é traçar um plano de negócios detalhado antes de a empresa começar a funcionar, acompanhado de uma previsão do volume de operações do empreendimento, para aí sim saber o número de funcionários necessários para manter essa atividade.

Vejamos o exemplo de uma padaria pequena que está começando agora: ela precisará de, no mínimo, dois funcionários, sendo, pelo menos, um padeiro. No entanto, existem outras funções a serem preenchidas: o mais recomendado é ter um padeiro, um operador de equipamento, um ajudante e, pelos menos, duas pessoas para trabalhar no atendimento. Mas como o normal é uma padaria funcionar o dia inteiro, e um funcionário trabalha em média apenas 8 horas por dia, esse número talvez precise aumentar.

Uma maneira simples e eficiente para começar é empregar funcionários por meio do contrato “a tempo parcial”. Ele permite que o trabalhador tenha uma jornada de até 25 horas semanais, sem hora extra e com registro em carteira de trabalho.

É um modelo bastante adequado para o comércio e o setor de bares e restaurantes. Com uma demanda de clientes maior em alguns dias, é necessária a contratação de mão de obra para esses períodos específicos.

O empresário pagaria esse trabalhador multiplicando o valor por hora do piso salarial da categoria pelo número de horas trabalhadas. Dessa forma, não haverá ociosidade de funcionários, os custos serão reduzidos e a contratação estará totalmente de acordo com a lei.

Como controlar sua mão de obra sem prejudicar seu negócio?

Usar melhor os recursos que uma empresa tem significa estar mais competitivo e controlar seus custos com mão de obra é a maneira mais eficaz de se conseguir isso. Mas lembre-se: essa economia não fará sentido se a qualidade do seu produto ficar comprometida.

Estabeleça a quantidade de funcionários exata que sua empresa precisa tendo sempre como meta entregar um bom serviço aos seus consumidores.

Curtiu o nosso post? Gostaria de saber mais sobre como administrar melhor seu negócio? Então, clique e confira 5 dicas para abrir um negócio no ramo alimentício.