3a
Depois do sucesso dos food trucks — veículos adaptados para a venda de alimentos preparados na hora —, outra alternativa tem chamado bastante a atenção da mídia e dos clientes: é a vez das food bikes! Econômicas, ecológicas e super charmosas, elas têm conquistado o público com produtos diferenciados, mostrando-se uma boa alternativa para quem procura por um negócio no ramo alimentício, mas não tem muito dinheiro para investir. Quer saber mais sobre as bicicletas customizadas destinadas à venda de alimentos? Acompanhe:

O funcionamento da food bike

Pode-se dizer que as food bikes estão no meio do caminho entre os carrinhos de ambulantes, já conhecidos há muito tempo, e os food trucks, que têm feito sucesso em todo o país. Para abrir um negócio com uma food bike, você precisa, claro, de uma bicicleta adaptada para a venda de alimentos. E já existem várias empresas em todo o Brasil que oferecem suporte para a customização e a adaptação das bikes, instalando todos os acessórios necessários para o transporte dos produtos. O diferencial das food bikes é que a maioria dos alimentos vendidos já precisa estar pronta, ao contrário dos trucks, onde a comida é preparada na hora. Mas o que mais é preciso para colocar uma food bike para funcionar e o que esse modelo de negócio traz de bom?

Focando no produto

O primeiro passo para abrir uma food bike é definir o produto a ser vendido, que deve ser o foco da empresa. Até porque a própria adaptação da bicicleta depende do alimento que será comercializado, levando em conta se ele precisa de refrigeração, aquecimento, que tipo de embalagens serão utilizadas e assim por diante. Já existem food bikes no Brasil vendendo uma grande variedade de produtos, como:

  • sorvetes, sacolés e paletas mexicanas;
  • bolos, tortas e brownies;
  • docinhos diversos, como brigadeiros e beijinhos;
  • pudins e quindins, em pedaços ou versões individuais;
  • sanduíches naturais;
  • cafés;
  • salgados fritos ou assados;
  • lanches veganos e saladas;
  • saladas de frutas.

Pedalando por aí

Apesar de alguns empresários realmente pedalarem pelas ruas vendendo seus produtos, a maioria das food bikes funciona em um ponto fixo, geralmente contando com um carro de suporte para a movimentação da bicicleta até seu destino. Locais de grande movimentação de pessoas, como praças, avenidas ou próximo a escolas são bastante procurados para a instalação do negócio, que, assim como os food trucks, deve contar com a aprovação da Vigilância Sanitária e, em alguns casos, com o alvará da Prefeitura.

Pondo a mão no bolso

Outra vantagem das food bikes é o investimento necessário para o início do negócio, que pode chegar a ser quase 100 vezes menor que o valor investido em um food truck completo, por exemplo. Sabia que com valores a partir de 2 mil reais já é possível customizar e adaptar uma bike para venda de alimentos? Vale ressaltar, porém, que esse preço pode chegar a até 15 mil reais, dependendo do modelo desejado.

Divulgando o negócio

A internet é uma ótima aliada das food bikes, que encontram nas redes sociais uma ferramenta econômica e eficaz para divulgar o negócio. Com fotos atrativas dos produtos vendidos e pequenos textos chamativos no Facebook, no Instagram e no Twitter, é mais que possível atingir o público gastando muito pouco. Vídeos no YouTube também são cada vez mais comuns. E se tudo isso ainda for associado a um blog ou site próprio, sua estratégia para conquistar e fidelizar a clientela vai ser sucesso total!

As iniciativas de sucesso

Confira alguns empresários que arriscaram em um negócio com as food bikes e estão fazendo sucesso pelo país:

  • Bolô Chérie: é uma das primeiras food bikes de São Paulo, que vende produtos sem glúten e sem lactose, como bolos, biscoitos, brownies e granola;
  • Bike Burguer: a primeira hamburgueria sobre rodas no país vende hambúrgueres artesanais feitos com ingredientes frescos;
  • Le Sacolé: a bike vende os tradicionais sacolés (geladinhos) em versão gourmet, com suco natural de sabores como limão siciliano com alecrim, maracujá com gengibre e até versões com álcool;
  • Pudim a Gosto: essa bike adaptada vende pudins em sabores diferenciados, como limão siciliano, paçoca, pistache e até chocolate orgânico da Amazônia;
  • Doce Magrela: especializada em bolos, cupcakes e doces, como brigadeiros gourmet e em bisnagas, macarrons, pirulitos decorados e cookies.

Já foi conquistado pela nova onda das food bikes ou ainda está pensando em abrir um food truck? Comente aqui e nos conte sobre seus planos! Lembre-se: com um bom planejamento e muita dedicação, seu negócio sobre rodas tem tudo para dar certo!