grafico-crescimento

Em tempos de crise, é mais que comum que as empresas tentem emplacar a estratégia de redução dos preços de seus produtos, seja para se igualar à concorrência ou para atrair mais clientes. Mas a verdade é que, na prática, muitos empresários acabam tomando decisões impulsivas na mais genuína tentativa de acertar, o que pode gerar problemas graves no futuro. Por isso entenda, de uma vez por todas, que se sua precificação não for adequada a ponto de desobedecer aos limites até os quais seu negócio pode ir, o prejuízo pode chegar bem mais rápido do que você imagina! Melhor se prevenir, não acha?

Você por acaso pensa que baixar os preços pode mesmo ser a melhor forma de enfrentar uma crise? Que tal entender desde já os riscos de reduzir os valores dos produtos e serviços sem que se faça um bom planejamento e a devida análise financeira? Então confira já nosso post de hoje:

Até onde baixar o preço dos produtos

Muitos dos problemas organizacionais e de baixo desempenho começam justamente com tomadas de decisão impulsivas e pouco analisadas. Por essas e outras, é mais que necessário ter cautela a respeito dos descontos oferecidos no mercado, assim como com outras tantas maneiras de buscar o aumento das vendas — visto que, se não forem bem pensadas, podem gerar problemas mais tarde.

Nesse cenário, antes de efetivamente decidir baixar os valores dos produtos ou serviços oferecidos pela empresa, é fundamental que o empreendedor estude se haverá impactos negativos na qualidade dos artigos comercializados, assim como na motivação ou especialização da equipe. Isso sem contar que é preciso analisar, obviamente, o quanto essa mudança influenciará em relação à rentabilidade mensal do negócio.

Pensando nisso, deve-se levar em conta pelo menos três variáveis antes de optar por reduzir o preço de um produto ou serviço: a gestão de custos eficaz, o conhecimento dos principais concorrentes e o valor percebido pelos clientes. Esses aspectos evidenciam o modo como a empresa deseja ser vista por seu setor de atuação, seus clientes e fornecedores. Por essas e outras, os empresários devem sempre focar em um planejamento estratégico de alto nível, para assim se prepararem para eventuais tempos difíceis do mercado. Aproveite para ficar por dentro de algumas dicas para fazer a empresa continuar crescendo durante a crise!

A importância da análise financeira

Quando o gestor tem uma perspectiva adequada sobre o orçamento da empresa, automaticamente se torna mais capaz de entender onde estão os gargalos do empreendimento. E é aí que entra a análise financeira de alto nível, que servirá como base para possíveis mudanças ou manutenções do planejamento. Assim, antes de decidir se os preços serão reduzidos ou não, é importante realizar alguns procedimentos relacionados à qualidade dos produtos, assim como analisar outras formas de redução de custos e busca de fornecedores. Veja o que você não só pode como deve fazer:

Preze pela qualidade do produto

Antes de mais nada, é fundamental que a empresa coloque a qualidade dos produtos ou serviços oferecidos como prioridade absoluta. Até porque de nada adianta fazer todas as alterações possíveis se o cliente não ficar satisfeito com o produto final, certo?

Avalie outras formas de redução de custos

Em vez de reduzir diretamente o preço do produto ou serviço, uma boa dica é buscar diminuir as despesas internas da empresa, que podem incluir desde gastos com materiais de escritório até consumo de água e luz, por exemplo. Dessa forma é possível otimizar a rentabilidade da empresa sem necessariamente precisar baixar o valor do produto final. Ah, e não custa nada lembrar que o corte de desperdícios é sempre uma excelente pedida tanto para os cofres do negócio como para dar aquela mãozinha ao meio ambiente!

Procure outros fornecedores

Se o orçamento do negócio anda mais apertado que de costume, uma boa dica é buscar outros fornecedores que possam oferecer um serviço mais em conta. Dessa maneira é possível encontrar aqueles profissionais que melhor se adaptarão aos tempos difíceis da empresa, sem que o foco na qualidade do produto se perca. Então pare por um minutinho e pense se sua distribuidora de alimentos é realmente a mais adequada para suas necessidades, por exemplo.

Viu como, antes de reduzir o preço do produto, é essencial que os gestores analisem todas as alternativas disponíveis, verificando principalmente como essa redução poderá impactar no orçamento mensal do negócio? Só assim é possível ter consciência se essa ação vai beneficiar ou trazer prejuízos.

Agora nos conte: o que você acha de baixar os preços em tempos de crise? Já fez esse teste? Que resultados obteve? Compartilhe suas opiniões e experiências conosco!