Preparation handmade chocolate candies, close up

Na hora de comprar chocolate, é mais que compreensível que algumas dúvidas surjam os tipos e sabores existentes, já que são tantos, não é mesmo? Como cada um deles tem suas peculiaridades e diferenças, podem agradar desde os paladares mais simples aos mais sofisticados! Além disso, você por acaso sabia que cada chocolate tem uma finalidade específica, podendo ser usado de diversas maneiras diferentes? A riqueza desse ingrediente é simplesmente inacreditável! Então conheça agora mesmo algumas das variedades de chocolates e se prepare para entrar de cabeça nesse delicioso universo! Vamos lá?

Puro, fracionado e hidrogenado

Quando o assunto é culinária, o mundo dos chocolates se divide em puro, fracionado e hidrogenado. Isso porque cada um desses tipos de chocolate atenderá a determinada finalidade na cozinha, como a produção de trufas, doces, ganaches e coberturas, por exemplo. Por isso, é importante ter em mente essa diferenciação na hora de comprar chocolates.

O chocolate puro é tido como o mais nobre dos chocolates, pois possui um percentual igual ou superior a 25% de cacau em sua composição, tendo um sabor mais apurado e qualidade muito superior aos chocolates geralmente utilizados em coberturas. Esses últimos são os chocolates fracionados e hidrogenados, que são mais macios e maleáveis que o chocolate puro, além de terem gordura vegetal ou hidrogenada em sua composição, o que faz com que sua qualidade e seu sabor sejam inferiores, geralmente ficando um gostinho de gordura no fim.

Os chocolates fracionados e hidrogenados podem ser comercializados em barras, raspas ou gotas, sendo que a opção pelo tipo de chocolate vai de acordo com a receita em que será utilizada. Os vendidos em raspas ou gotas são mais fáceis de serem derretidos, ao passo que os chocolates em barra tendem a ser mais pesados e recomendados para receitas maiores.

Ao leite

chocolate ao leite, um dos chocolates mais consumidos no mundo, tem sabor suave e delicado, justamente por não possuir um alto teor de cacau em sua composição. Na receita estão presentes o leite, leite em pó, massa e manteiga de cacau, além de açúcar, o que faz com que esse tipo de chocolate possua um teor calórico maior do que as versões amargas ou com 70% de cacau.

A dica é não usar esse tipo de chocolate em receitas complexas, que podem ser acrescidas de leite condensado, creme de leite ou açúcar, por já conter um grau de doçura mais elevado, o que pode acabar resultando em uma sobremesa mais doce do que deveria ser.

Amargo

Ao contrário do chocolate ao leite, o chocolate amargo não leva leite em sua composição e deve possuir, no mínimo, 70% de cacau. É muito comum ver anúncios nas lojas com a informação sobre a porcentagem de cacau contido no chocolate, portanto, saiba que, se chegar aos 70 ou 80%, é mesmo um chocolate amargo. Uma das grandes vantagens do chocolate amargo é que ele possui ação antioxidante e ajuda nas funções do coração.

Por ser desprovido de açúcar, o chocolate amargo pode ser amplamente utilizado na culinária para fazer brigadeiros, trufas, bolos e tortas. O importante é saber dosar a quantidade ao temperar o chocolate, para transformá-lo em um doce sem perder seu sabor marcante.

Meio Amargo

versão mais suave do chocolate amargo leva em sua composição cerca de 40% de cacau, uma parte de leite e pouca quantidade de açúcar, o que faz com que seu sabor agrade os paladares mais sensíveis por deixar uma sensação mais adocicada. Esse é o famoso meio amargo.

Branco

Ao contrário das outras versões, o chocolate branco não leva massa de cacau em sua composição, apenas uma grande quantidade de manteiga de cacau somada ao açúcar e ao leite, o que faz com que o chocolate branco seja o mais calórico dos chocolates.

Alfarroba

Uma excelente alternativa ao chocolate é a alfarroba, fruto de uma árvore do mediterrâneo que passou a ser utilizada pela indústria para substituir o cacau na produção de chocolate. O gosto da alfarroba se assemelha um pouco ao gosto do chocolate ao leite, apesar de conter um certo amargor.

A vantagem de se consumir a alfarroba está em sua baixa concentração de gordura — que fica em cerca de 0,7% — e da riqueza em fibras do fruto, que também é fonte de minerais — como o cálcio, o potássio e o fósforo —, além de contar vitaminas E, B6 e B12. Outra vantagem é que a alfarroba não tem adição de açúcar, sendo um produto que pode tranquilamente ser consumido pelos diabéticos.

E você, sabe qual é seu tipo de chocolate favorito? Tem alguma receita de sucesso que leve chocolate que gostaria de compartilhar conosco? Comente aqui e compartilhe suas opiniões e sugestões conosco! Participe!