OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Dia 5 de julho pode vir a se tornar uma data importante para os mineiros, e de relevância para a gastronomia brasileira. O governador Antônio Anastasia aprovou um projeto de lei que marca esta data como o Dia da Gastronomia Mineira, que celebrará as tradições e as técnicas culinárias de uma das cozinhas mais ricas e diversas do país. Para celebrar a data, que tal falarmos um pouquinho das tradições gastronômicas de Minas Gerais?

Características da culinária mineira

A culinária mineira é uma mistura de várias culturas que colonizaram e passaram pelo estado de Minas Gerais, influenciando nossos hábitos culturais e alimentícios. Com características europeias, africanas e indígenas, a cozinha mineira representa tudo aquilo que foi aproveitado por habitantes desta terra, para tornar sua alimentação completa e satisfatória às suas necessidades nutricionais. Por causa desta mescla, a culinária mineira é criativa, inovadora e única, se tornando apreciada e reconhecida em todo o mundo.

Porque é ela tão apreciada?

Poucas culinárias típicas conseguem agradar a todos os tipos de paladares como a mineira. Diferente de cozinhas tradicionalmente exóticas, como a do norte e nordeste do país, a comida de Minas Gerais transforma alimentos comuns em pratos irresistíveis, de um jeitinho que somente um bom mineiro sabe fazer. Os ingredientes mais utilizados na culinária mineira são o queijo, leite, couve, frango, feijão e o quiabo.

Alguns pratos tradicionais e seus ingredientes

Frango ao molho pardo

Um dos mais tradicionais pratos da culinária mineira, este tipo de frango é cozido em uma panela com seu próprio sangue, colhido logo após ao abate do animal. Esta receita foi elaborada por fazendeiros que recebiam viajantes e trabalhadores de minas em suas terras, para pernoitar após um dia inteiro de trabalho, se tornando uma excelente opção para sustentar e nutrir estes indivíduos. O sabor forte e marcante, misturado com uma boa quantidade de arroz branco, chama a atenção de curiosos e apreciadores da boa culinária até hoje.

Pão de queijo

Não tem como falar de culinária mineira sem falar do pão de queijo. Talvez a iguaria mais difundida nas cozinhas de todo o país, o pão de queijo é um sucesso até entre os paladares mais exigentes. O pequeno pãozinho de queijo e polvilho é fabricado por cozinheiras de Minas Gerais desde o final do século XVIII e, junto com uma boa xícara de café, é uma boa opção de lanche da tarde ou café da manhã.

Angu

Uma das influências da culinária Africana, o angu é frequentemente comparado com a Polenta italiana, porém com consistência semelhante à de um purê. Esta mistura de farinha de milho com água e sal, sem a adição de temperos, era o principal alimento dos escravos, por ser fonte pura de carboidratos. Hoje o preparo do angu pode levar caldo de carne ou alguns miúdos de animais, para lhe providenciar mais sabor.

Broa de fubá

Quem frequenta a casa de algum mineiro sabe que, no lanche da tarde, além de um bom café e um pão de queijo, você pode apreciar um tipo diferente de bolo: a broa de fubá. A origem deste tipo de doce é uma associação da culinária portuguesa (que trouxe o milho), com a de imigrantes americanos (que tinham prática de panificação). Por este motivo, o nome “Broa” se assemelha muito a “Bread” (pão, em inglês). Feito com farinha de milho, a broa tem consistência diferente da maioria dos pães ou bolos, mas tem sabor único e inconfundível.

Queijo minas

A mais tradicional iguaria mineira é o queijo minas. Este tipo de laticínio, elaborado por portugueses que imigravam para a região, apresenta característica diferente de outros queijos que conhecemos da culinária mundial. Sua técnica de preparo permite que ele se torne um queijo fresco, mas com duração maior do que um produto perecível qualquer, característica extremamente útil para os trabalhadores e viajantes da época do Brasil colonial. Hoje este tipo de queijo é reconhecido como patrimônio cultural brasileiro, ganhando somente o status de queijo minas se for produzido na região e nas técnicas utilizadas no estado de Minas Gerais.

Estes são só alguns exemplos clássicos de pratos tradicionalmente mineiros. A vasta lista também engloba receitas como o tutu de feijão, couve refogada, geleia de mocotó, doce de leite e frango com quiabo. Minas é tão rica em cultura alimentar que tem até a própria bebida: a cachaça, que também é patrimônio cultural e premiada em todo o mundo.

E depois desta aula sobre culinária de Minas Gerais a gente quer saber: qual o seu prato favorito para comemorar o dia da gastronomia mineira? Conta pra gente!